Castelo de Santo Ângelo, Roma

Questo post è disponibile anche in: Italiano Francês

Castelo de Santo Ângelo (Castel Sant’Angelo) foi o antigo mausoléu do imperador Adriano (Adriano 76 d.C. – 138 d.C.). A estrutura, que foi projetada para abrigar o túmulo do Imperador Adriano e seus sucessores, foi construída entre 123 d.C. e 139 d.C. pelo arquiteto Demetrianus.

O Mausoléu de Adriano foi formado a partir duma base quadrada com lados de 86,3 metros, sobre o qual repousava uma estrutura cilíndrica de 64 metros de diâmetro. No interior em três grandes salas sobrepostas foram colocados os túmulos imperiais e de seus familiares. Além de Adriano outros imperadores foram enterrados no mausoléu. Eles eram Antonino Pio, Cômodo, Marco Aurélio, Septímio Severo, Geta e Caracala.

Em 271 d.C. o imperador Aureliano mudou o mausoléu, tornando-lo uma parte da estrutura defensiva de Roma. Foi usado como uma fortaleza e pedra angular das muralhas, que ele construiu em torno da capital. Em 520 d.C. Teodorico transformou o mausoléu numa prisão, um destino para o qual o edifício foi utilizado durante muitos séculos juntamente com a duma imponente fortaleza para defender o poder, que governou Roma. Durante o governo dos papas o Castelo de Santo Ângelo foi utilizado como residência fortificada. Hoje a estrutura abriga o Museu Nacional do Castelo de Santo Ângelo (Museo Nazionale di Castel Sant’Angelo).

Castelo de Santo Ângelo, Roma. Autor e Copyright Marco Ramerini

Castelo de Santo Ângelo, Roma. Autor e Copyright Marco Ramerini

Do mausoléu antigo permanecem a bela rampa em espiral de 125 metros de comprimento, os três quartos sobrepostos, que abrigavam os túmulos dos imperadores e de suas famílias, a saber o Salão das urnas cinerários (Sala delle Urne Cinerarie), o Salão da Justiça (Sala della Giustizia) e a Sala Rotunda (Sala Rotonda). Ao longo dos séculos foram construídos muitos outros salões, que foram usados como apartamentos residenciais dos Papas, incluindo a Sala de Apolo (Sala di Apollo) ou foram usados como áreas representativas como a Sala Paolina, rica em afrescos. A maioria dos quartos é decorada com afrescos. Muito bela é a vista panorâmica de Roma, que existe a partir do terraço à direita sob a estátua de bronze do arcanjo Miguel, que está no ponto culminante da fortificação.

MUSEU NACIONAL DO CASTELO SANTO ÂNGELO

Horário: De terça a domingo das 09.00 às 19.30. A bilheteira fecha uma hora antes. Fechado: Segunda-feira, 1 de janeiro, 25 de abril, 1 de maio, 25 de dezembro. A bilheteira fecha às 18.30.

Afrescos, Castelo de Santo Ângelo, Roma. Autor e Copyright Marco Ramerini

Afrescos, Castelo de Santo Ângelo, Roma. Autor e Copyright Marco Ramerini

Ingressos: Adultos: € 8,50. Reduzido: € 6,00 para cidadãos da UE entre 18 e 25 anos e professores das escolas públicas. Entrada gratuita: Os cidadãos da União Europeia menores de 18 anos e de mais de 65 anos, inválidos com acompanhantes.

O Museu Nacional do Castelo Santo Ângelo faz parte do circuito do Pass Roma.

Como chegar: As estações de METRO mais próximas são as de Lepanto e Ottaviano-San Pietro da linha METRO A. Autocarro: Linhas 62, 23, 271, 982, 280 (paragem Piazza Pia); linha 40 (paragem Piazza Pia); linha 34 (paragem Via di Porta Castello); linhas 49, 87, 926, 990 (paragem Piazza Cavour – Via Crescenzio); linhas 64, 46 (paragem Santo Spirito).

Texto português corrigido por Dietrich Köster.

About admin

banner