Templo de Castor e Pollux, Vale dos Templos, Agrigento, Sicília. Autor e Copyright Marco Ramerini

O Vale dos Templos de Agrigento, Sicília

Questo post è disponibile anche in: Italiano Francês

A cidade de Agrigento foi fundada pelos gregos no século VI a.C. e tornou-se uma das cidades mais importantes da bacia do Mediterrâneo. O seu esplendor é ainda visível nos seus templos dóricos magníficos e nas ruínas da cidade helenística e romana. Os seus templos dóricos – o famoso Vale dos Templos – representam um dos monumentos mais marcantes da arte e da cultura grega. Entre os edifícios melhor conservados são o Templo da Concórdia (meados do século V a.C.), o Templo de Hera ou Juno Lacinia (meados do século V a.C.), o Templo de Héracles (final do século VI a.C.), o Templo de Zeus Olímpico (480-470 a.C.) e o Templo de Castor e Pollux (início do século V a.C.).

A área de Agrigento foi habitada desde tempos pré-históricos, mas a cidade (chamada Ákragas) foi fundada no século VI a.C. (581 a.C.) de colonos da Ilha de Rodes e de Gela. Tornou-se uma das cidades mais prósperas da Sicília a ser habitada por volta do século V a.C. por 200.000 habitantes. A cidade foi fortemente envolvida na luta contra a hegemonia de Cartago, pelo qual foi ocupada (406-310 a.C.). Em 310 a.C. a cidade foi libertada dos cartaginenses graças aos gregos de Siracusa. Em 210 a.C. foi ocupada pelos romanos, que rebatizaram a cidade Agrigentum. Com a invasão dos vândalos, góticos e bizantinos a cidade declinou. Foi conquistada pelos árabes, sob os quais recuperou o vigor económico. Então ocupada pelos normandos, tornou-se num bispado. Mais tarde foi governada pelos aragonenses e depois pelos espanhóis.

Restos de um atlante, Vale dos Templos, Agrigento, Sicília. Autor e Copyright Marco Ramerini

Restos de um atlante, Vale dos Templos, Agrigento, Sicília. Autor e Copyright Marco Ramerini

A zona arqueológica de Agrigento faz parte do patrimônio mundial da UNESCO desde 1997. A zona arqueológica estende-se até o limite sudeste da Colina dos Templos. Na borda da elevação pitoresca são colocados em sucessão os templos dóricos de Juno, de Concórdia, de Héracles, de Zeus Olímpico, de Castor e Pólux e de Vulcano. Todos os monumentos datam do auge de Ákragas (Agrigento): O século V a.C. O sítio arqueológico está dividido em dois por uma estrada. A parte mais interessante é o leste, onde estão os restos dos templos melhor preservados.

Entrando na área oriental do Vale dos Templos o primeiro templo é o Templo de Héracles, provavelmente o mais antigo de todos os templos de Agrigento (final do século VI a.C.). Originalmente ele tinha 38 colunas, mas hoje existem somente 8. Os restos dos outros estão espalhados ao redor. Entre todos os templos o melhor preservado é o Templo da Concórdia (meados do século V a.C.), que é considerado como um dos edifícios sagrados da época clássica mais notável do mundo grego. O templo tem 34 colunas e deve o seu bom estado de conservação pelo fato que ele tinha sido transformado no sexto século d.C. numa basílica cristã. Alguns anos mais velhos do que o Templo da Concórdia é o templo de Juno Lacinia (meados do século V a.C.), que foi construído sobre um esporão artificialmente construído. Originalmente tinha 34 colunas, mas hoje existem apenas 25. Nos séculos tem sofrido incêndios, terramotos e destruição e mostra a evidência dum incêndio iniciado pelos cartaginenses em 406 a.C.

Na zona oeste do Vale dos Templos encontra-se o templo de Zeus Olímpico: Um enorme complexo de 112 m de comprimento por 56 m de largura, construído a partir de 480 a.C. e nunca foi concluído. A estrutura tinha de ser uma das maiores da Antiguidade com colunas altas de mais de 17 metros e com figuras humanas colossais, chamadas telamons ou atlantes, que mantêm uma parte da estrutura com 7,65 metros de altura com as pernas afastadas e os braços cruzados atrás da cabeça, partilhando com colunas o peso do architraves. Hoje o templo é reduzido a um campo de ruínas em destruição, que começou nos tempos antigos e continuou até a era moderna, quando o edifício foi usado como uma pedreira.

Vestígios do Templo de Héracles, Vale dos Templos, Agrigento, Sicília. Autor e Copyright Marco Ramerini

Vestígios do Templo de Héracles, Vale dos Templos, Agrigento, Sicília. Autor e Copyright Marco Ramerini

A poucas centenas de metros do Templo de Zeus Olímpico fica o Templo de Castor e Pólux (Dioscuri), construído no final do século V a.C.. Tinha 34 colunas. A ruína pitoresca atual foi reconstruída na primeira metade do século XIX com várias peças da época doutros templos. Perto deste templo encontram-se o Santuário de Demétria e Kore e o Templo de Vulcano.

Merecem uma visita minuciosa o Museu Arqueológico Regional e o Bairro helenístico-romano (Quartiere Ellenistico-Romano).

INFORMAÇÕES ÚTEIS:

Parque Arqueológico Vale dos Templos e Museu Archeólogico Regional de Agrigento.

Horário: De domingo a sexta-feira: das 08.30 às 19.00; sábado: das 08.00 às 19.00 e das 20.00 às 23.30.

Bilhetes: Visita da área da Colina oriental, a área do Templo de Zeus e o Bairro helenístico-romano (excluindo a Grotta Fragapane e o Antiquarium Paleocristiano) 8,00 €, visita do Antiquariano Paleocristiano 3,00 €, visita da Grotta Fragapane 3,00 €, visita do Parco (Colina oriental, área do templo de Zeus e Bairro helenístico-romano) e Museu Arqueológico 10,00 €, visita do Parco (Colina oriental, área do templo de Zeus e Bairro helenístico-romano) e Kolymbetra 10,00 €, Museu Arqueológico de Agrigento 6,00 €, Kolymbetra 2.00 €.

Texto português corrigido por Dietrich Köster.

About admin

banner