Piazza Trento e Trieste, Ferrara. Autor Sien

Ferrara: um exemplo maravilhoso duma cidade planeada do Renascimento

Questo post è disponibile anche in: Italiano Francês

Localizada na planície emiliana ao longo das margens do ramo do rio Pó di Volano, a cidade de Ferrara mantém quase intacto o seu centro histórico com os seus edifícios medievais e renascentistas.

Capital do ducado de Este, Ferrara cresceu em torno dum vau sobre o rio Pó e tornou-se um importante centro intelectual e artístico, que atraiu as maiores mentes do Renascimento italiano nos séculos XV e XVI. Em Ferrara trabalharam Piero della Francesca, Jacopo Bellini e Andrea Mantegna, que decorou o palácio da casa de Este.

O conceito humanista da “cidade ideal” nasceu e foi realizado aqui desde 1492 por Biagio Rossetti de acordo com o princípio da perspectiva. A realização deste projeto marcou o nascimento do urbanismo moderno e influenciou os desenvolvimentos arquitectónicos e urbanos seguintes.

Em 1995 o centro histórico de Ferrara (Ferrara, Cidade do Renascimento, e o seu delta do rio Pó) foi incluído na lista da UNESCO como Património Mundial. Trata-se dum exemplo admirável duma cidade planeada da Renascença, que tem preservado o seu centro histórico.

Castelo Estense, Ferrara. Autor Sarapappa

Castelo Estense, Ferrara. Autor Sarapappa

CASTELO ESTENSE

O Castelo Estense, conhecido como o Castelo de San Michele, é o monumento mais importante da cidade de Ferrara. A estrutura defensiva é quadrada com enormes torres dos lados (Torre Marchesana, Torre di Santa Caterina, Torre di San Paolo e Torre dei Leoni), que encontra-se completamente rodeada por um fosso cheio de água.

Em 1385 uma revolta popular perigosa convenceu Niccolò II d’Este da necessidade de construir um forte para a sua segurança e a da sua família: Era assim, que ele começou a construção do Castelo de San Michele. Deste primeiro período são as valas, pontes e torres. A passagem coberta, que existe ainda hoje, uniu o Castelo com o Palácio Ducal, hoje Câmara Municipal.

Nos séculos seguintes o palácio foi usado como a residência da corte e foi embelezado por um telhado plano acima das torres por varandas em mármore e magníficos apartamentos. Ao embelezamento da residência dos Duques trabalharam artistas de renome como Piero della Francesca, Girolamo da Carpi e o Bastianino.

Entre os mais belos quartos são o Corridoio dei Baccanali, a Loggia degli Aranci, a Sala del Cordolo, as cozinhas do século XVI, a Sala dell’Aurora, a Saletta dei Giochi e a Cappella da Renata di Francia (Capela Ducal). Maravilhoso é o Salão de Jogos (Salone dei Giochi) com afrescos de Sebastiano Filippi dos meados do século XVI. No porão do castelo pode visitar as velhas prisões.

Fachada da Catedral de Ferrara. Autor Sailko

Fachada da Catedral de Ferrara. Autor Sailko

CATEDRAL DE SÃO JORGE (CATTEDRALE DI SAN GIORGIO)

A catedral, dedicada a São Jorge, foi iniciada no século XII. Tem os sinais de cada período histórico, que passou através da cidade. A enorme fachada, uma estrutura específica com três cúspides, foi iniciada na parte inferior no estilo românico. A parte superior, iniciada algumas décadas mais tarde, é no estilo gótico e introduz um magnífico Juízo Final, esculpido por um anônimo, colocado sobre a “Lógia”. Na praça Trento e Trieste é a imponente torre do sino de mármore branco e rosa, um trabalho inacabado, atribuído a Leon Battista Alberti.

O interior da catedral foi originalmente com cinco naves, mas no início do século XVIII foram implantados os atuais três naves. Há inúmeras obras de arte na catedral, incluindo estátuas e pinturas. Na abside há um afresco do Juízo Final por Bastianino do século XVI e um coro de madeira, realizado entre o final do século XV e o início do século XVI por Bernardino Canozzi e Rizzardo delle Lanze.

Muitas das obras da catedral são agora mantidas no próximo Museu da Catedral, localizado na igreja de San Romano. Aqui estão tapeçarias flamengas, esculturas, pinturas, incluindo os dois painéis de têmpera do século XV (San Giorgio e a Anunciação) por Cosmè Tura, que eram as portas do órgão da catedral. Mas a peça mais conhecida é a escultura de Jacopo della Quercia, que representa a Madonna della Melagrana de 1408.

Palazzo dei Diamanti, Ferrara. Autor Emmuhl

Palazzo dei Diamanti, Ferrara. Autor Emmuhl

PALÁCIO DOS DIAMANTES (PALAZZO DEI DIAMANTI)

O Palazzo dei Diamanti em Ferrara é um dos edifícios mais importantes da cidade e a mais notável construção da chamada “addizione Erculea”, uma ampliação da cidade com a consequente erecção duma nova muralha de 9 km de comprimento.

O imenso trabalho foi encomendado pelo Duque Ercole I d’Este e construído por Biagio Rossetti no final do século XV e no início do século XVI. Este levará à construção duma nova cidade renascentista. O Palazzo dei Diamanti está localizado à direita do cruzamento de duas ruas principais da nova cidade renascentista: Corso Ercole I e Corso Porta a Mare/Corso Biagio Rossetti.

Este palácio foi construído entre 1493 e 1503 pelo arquitecto ferrarense Biagio Rossetti e foi o palácio de Sigismondo d’Este, irmão do Duca. O revestimento exterior do edifício é constituído por mais de 8.500 pedras de cantaria em forma de diamante.

Dentro vai encontrar hoje a Galeria Nacional de Arte (Pinacoteca Nazionale), dedicada a pinturas desde a Idade Média até o século XVIII. Há obras de artistas do calibre de Andrea Mantegna, Serafino da Modena, Gentile da Fabriano, Cosmè Tura, Ercole de’ Roberti, Benvenuto Tisi da Garofalo, Bastianino, Vittore Carpaccio, Vicino da Ferrara e Michele Pannonio. Aqui existe a Galeria cívica da arte moderna e contemporânea, usada como um espaço para exposições temporárias.

Texto português corrigido por Dietrich Köster.

About admin

banner
Close
GDPR
Le leggi dell'UE richiedono che chiediamo il tuo consenso all'uso dei cookies. Utilizziamo i cookie per garantire che il nostro sito funzioni correttamente. Alcuni nostri partner pubblicitari raccolgono anche dati e utilizzano i cookie per pubblicare annunci personalizzati.




Sottoscrivete il nostro canale YOUTUBE: