O litoral ao longo da avenida de Nebida, Iglesias, Sardenha. Autor e Copyright Marco Ramerini

Praias de Funtanamare, Cala Doméstica e Portixeddu. A costa da Sardenha entre Nebida, Masua e Capo Pecora

Questo post è disponibile anche in: Italiano Francês

A costa da Sardenha, que de Gonnesa leva até Portixeddu, é uma sucessão de praias e costas rochosas com vista para o mar. Este litoral cheio de minas é felizmente ainda pouco afetado pelo desenvolvimento da construção e apresenta trechos dum litoral selvagem e espetacular. A estrada, que permite a visita desta parte da costa é a SP 83, que começa a sul de Iglesias perto da aldeia de Gonnesa. A estrada vai inicialmente ao longo da costa e oferece vistas deslumbrantes sobre a praia de Fontanamare e a costa selvagem entre Nebida e Masua. Após Masua a estrada entra por um trecho no interior. Depois dalguns quilómetros um desvio em direção ao mar permite a visita da bela Cala Doméstica. Então atinge a aldeia de Buggerru, a longa praia de Portixeddu e finalmente com um pequeno desvio o rochoso Capo Pecora.

PRAIA DE FUNTANAMARE

A 6 km de Gonnesa ao longo da estrada, que de Carbonia leva a Iglesias, encontramos o desvio para os centros de mineração de Funtanamare: Nebida e Masua. A partir da junção depois de 4 km chegamos à praia de Funtanamare.

A praia de Fontanamare, Gonnesa, Sardenha. Autor e Copyright Marco Ramerini

A praia de Fontanamare, Gonnesa, Sardenha. Autor e Copyright Marco Ramerini

A longa praia é um paraíso para os surfistas. Do lado direito encontram-se os restos da fundição Funtanamare, que lidava e derreteu os minerais extraídos da mina de Nebida, que fica a 5 km. A fundição foi anexada a uma lavanderia para o tratamento de minerais.

Continuando ao longo da estrada, que vai para Nebida e Masua, tem uma bela vista sobre a praia de Funtanamare e doutro lado a visão estende-se até o Pão de Açúcar de Masua. Este é um dos trechos mais bonitos da costa rochosa da Sardenha.

ATRAÇÕES NA ÁREA: A Gruta de Santa Barbara na mina de San Giovanni (Gonnesa). A caverna é constituída por um único quarto grande e as paredes da caverna são acarpetadas com cristais tabulares de barita marrom escuro. O sítio pode ser visitado apenas mediante pedido. Ingressos: Indivíduos 12,00 €, crianças (6-12 anos) € 6,00, grupos (acima de 25) 8,50 €, escolas 6,00 €. O bilhete inclui um serviço de guia para o sítio. Reservas e informações: 0781.491300, e-mail@segr.dir

Galeria Villamarina (Monteponi). A escavação do túnel Villamarina começou em 1852. Encontram-se os dois mais importantes poços da mina de Monteponi no Pozzo Vittorio Emanuele e no Poço Sella. As visitas são feitas somente mediante pedido. Ingressos: Indivíduos 8,00 €, crianças (6-12 anos) 4,50 €; grupos (acima de 25) 6,00 €, escolas 4,50 €. Reservas e informações: 0781.491300, e-mail@segr.dir

NEBIDA

O litoral ao longo da avenida de Nebida, Iglesias, Sardenha. Autor e Copyright Marco Ramerini

O litoral ao longo da avenida de Nebida, Iglesias, Sardenha. Autor e Copyright Marco Ramerini

Ao longo da estrada costeira, que da Iglesias e Gonnesa leva às pequenas aldeias mineradoras de Nebida e Masua e a mina de Porto Flavia, pode admirar as paisagens da costa entre as mais belas da Sardenha. Construídos no século XIX para a exploração de jazidas minerais, Nebida e Masua são encontradas ao longo da costa numa paisagem particularmente bela, que é dominada pelo característico Pão de Açúcar, uma ilhota de pedra calcária de 133 metros de altura, que está bem em frente de Porto Flavia. A ilhota do Pão de Açúcar com as rochas de “Il Morto” e “S’Agusteri”, com outras rochas e com o rochedo de “Punta de Is Cicalas” foi declarada monumento natural.

Nebida preserva os restos da Laveria Lamarmora. Da aldeia de Nebida há um caminho circular panorâmico com uma vista deslumbrante sobre a costa debaixo e sobre os restos da Laveria Lamarmora. Do caminho pode ser vista toda a costa ao norte até a pedra do Pão de Açúcar de Masua. Da trilha cênica podem ser alcançados por uma longa escadaria os restos da Laveria Lamarmora, situados numa localização pitoresca na costa de Nebida. A laveria foi construída em 1897 pela “Società anonima di Nebida” e utilizada até a meados dos anos de 1930. É um edifício de pedra, que está espalhado por vários volumes sobrepostos com enormes arcos e é completado por duas altas chaminés. Ao pé deste edifício perto do mar pode ver os fornos de calcinação.

Estamos no meio do Parque Geominerário do Sulcis Iglesiente, uma área de 2.455 km². Faz parte do Parque Geo-Mineiro da Sardenha, nascido a fim de proteger o património técnico, cultural e ambiental das áreas de mineração da Sardenha. A área de Sulcis está incluída no Parque. É a maior e mais representativa para a variedade e importância das atividades de mineração, que foram realizadas. Esta área foi uma das principais zonas mineiras da Europa Ocidental. Foram extraídos o chumbo, o zinco, o cobre, a prata, o estanho, o ferro e o carvão.

A praia de Masua, Sardenha. Autor e Copyright Marco Ramerini

A praia de Masua, Sardenha. Autor e Copyright Marco Ramerini

PRAIA DE MASUA

Não muito longe de Nebida no fim da estrada pavimentada fica a aldeia de Masua com algumas das casas dos mineiros deitadas na mata nas encostas protegidas por lastro de pedra e uma pequena baía com uma praia, que enfrenta a ilha imponente do Pão de Açúcar.

Em seguida a estrada de terra vai para a entrada da mina de Porto Flavia.

Flavia Porto é um sistema para o transporte de minerais, criado em 1924 pelo engenheiro Cesare Vecelli, que lhe deu o nome da sua filha mais velha Flavia, para reduzir o alto custo de transporte do minério extraído das minas da região.

O trabalho foi realizado escavando a montanha de 600 metros na base de duas galerias sobrepostas. Uma correia transportadora recebeu os minerais a partir dos depósitos subterrâneos, transferindo-os diretamente para o porão de navios de carga ancorados.

ATRAÇÕES NA ÁREA: Porto Flavia (Masua). A obra mais extraordinária de engenharia de minas da Sardenha. O sítio pode ser visitado apenas por pedido. Ingressos: Indivíduos 8,00 €, crianças (6-12 anos) 4,50 €; grupos (acima de 25) 6,00 €, escolas 4,50 €. O bilhete inclui o serviço de guia para o sítio. Reservas e informações: 0781.491300, e-mail: <segr.dir@igeaminiere.it>

Museu de Máquinas da Mineração (Museo delle Macchine da Miniera) em Masua. O museu abriga mais de 70 carros e muitas ferramentas específicas para operações de mineração. As visitas são feitas somente por pedido. Ingressos: Indivíduos 3,00 €, crianças (6-12 anos) 1,00 €; grupos (acima de 25) 2,00 €, escolas 1,00 €. Reservas e informações: 0781.491300, e-mail: <segr.dir@igeaminiere.it>

A praia de Cala Domestica, Sardenha. Autor e Copyright Marco Ramerini

A praia de Cala Domestica, Sardenha. Autor e Copyright Marco Ramerini

PRAIA DE CALA DOMESTICA

Continuando a partir de Masua ao longo da estrada por um trecho de dentro e não mais perto do mar, passando por Acquaresi (mina) e depois de 8 km chega à junção para Cala Doméstica.

Cala Doméstica, uma das mais belas praias da Sardenha, está localizada a 2 km ao sul de Buggerru. A praia é colocada no final duma entrada profunda no litoral e rodeada por altas falésias e foi usada até 1940 como um porto de embarque de minerais das minas da região. A evidência desse período são ainda os restos de vários edifícios, incluindo as ruínas dos armazéns da mina. Aqui novamente estava correndo um pequeno comboio para transportar o minério para ser carregado em navios. Durante a Segunda Guerra Mundial foi uma base naval alemã.

Cala Doméstica é dominada por uma antiga torre espanhola. Para chegar à torre é necessário tomar o caminho, que conduz à esquerda da praia. Ao longo do caminho pode admirar uma vista maravilhosa sobre a enseada, enquanto na ponta do penhasco em frente fica um arco de pedra.

A torre foi provavelmente construída no final do século XVIII (1765-1786). A estrutura, feita de pedra calcária, tem uma forma cilíndrica e mede 12 m de diâmetro e 11 m de altura. Durante a Segunda Guerra Mundial foi usado como um ponto de observação. A escada de ferro no interior da torre remonta a esse período.

No penhasco ao direito da praia um túnel, cavado pelos mineiros, leva a uma outra praia, chamada “La Caletta”.

A torre espanhola, Cala Domestica, Sardenha. Autor e Copyright Marco Ramerini

A torre espanhola, Cala Domestica, Sardenha. Autor e Copyright Marco Ramerini

BUGGERRU

De Cala Doméstica continuamos para a aldeia de Buggerru com 1.100 habitantes, uma aldeia caracterizada por casas, que espalham-se num vale acidentado.

Em frente ao porto num prédio projetado no final do século XIX como uma oficina de carpintaria com tornos e fresadoras no local original, abriga agora o Museu da História de Buggeru e de seu território com achados arqueológicos, fósseis, minerais, ferramentas e documentos.

ATRAÇÕES NA ÁREA: Galleria Henry (Buggerru). É a estrutura mais importante da mina de Planu Sartu de 1865. O túnel permitiu o transporte de minerais por via férrea das minas para as laverias. Ele está localizado a uma altura de 50 metros acima do nível do mar, acima da aldeia de Buggerru e cruza por um quilómetro o planalto de Planu Sartu. Seu tamanho imponente foi determinado pelo uso em 1892 duma locomotiva a vapor. Graças a uma rede ferroviária rapidamente suplantou o transporte lento e caro de mula. Sua singularidade consiste de numerosas aberturas sobre as falésias e o mar. A través de pequenos túneis e trincheiras esculpidas na rocha vistas pitorescas da costa com falésias deslumbrantes são possíveis. As visitas são feitas somente com hora marcada. Ingressos: Indivíduos 8,00 €, crianças (6-12 anos) 4,50 €; grupos (acima de 25) 6,00 €, escolas 4,50 €. Reservas e informações: 0781.491300, e-mail: <segr.dir@igeaminiere.it>

A praia de Portixeddu, Fluminimaggiore, Sardenha. Autor e Copyright Marco Ramerini

A praia de Portixeddu, Fluminimaggiore, Sardenha. Autor e Copyright Marco Ramerini

PRAIA DE PORTIXEDDU

Depois da pequena cidade mineira de Buggerru a estrada abre a vista para a baía de Portixeddu. Aqui a vista abarca toda a baía até o promontório do Capo Pecora. A praia de Portixeddu é de dois quilómetros de comprimento, composta de areia dourada, cercada por dunas de areia (dunas de San Nicolau), coberta de pinheiros, carvalhos e zimbros.

CAPO PECORA

Após Portixeddu tomar o desvio, que leva em poucos quilómetros à península de granito do Capo Pecora. Esta área é conhecida por arredondadas rochas graníticas muito especiais, que ocupam a maior parte das enseadas ao redor do cabo.

ATRAÇÕES NA ÁREA: Parque Arqueológico do Vale das Antas, Templo de Antas (Fluminimaggiore). Localizado a 10 quilómetros ao sul de Fluminimaggiore, o Templo de Antas é um templo púnico-romano, dedicado ao deus de origem cartaginesa Sid Addir. O primeiro templo, originalmente cartaginês, remonta a 500 a.C. Em seguida no tempo de Augusto (27 a.C.-14 d.C.) os romanos construíram um novo templo no topo do velho templo, cujas ruínas podem ser vistas hoje. Sob as escadas da entrada do templo romano encontram-se os restos do templo anterior cartaginês. Em frente o templo é composto por seis colunas (quatro da frente e duas das laterais) de 8 metros de altura com capitéis iônicos. Uma escada leva à entrada da cela com o ambiente mais sagrado do templo, que tem um piso decorado com um mosaico. Ao redor do templo os arqueólogos encontraram um grande número de artefatos: Jóias, cerâmica, e sobretudo um grande número de inscrições em pedra. Na área arqueológica em torno do templo existem: Um pequeno cemitério, os restos duma antiga aldeia nuragica e as pedreiras romanas. Horas: A entrada é temporariamente livre.

As falésias de Capo Pecora, Sardenha. Autor e Copyright Marco Ramerini

As falésias de Capo Pecora, Sardenha. Autor e Copyright Marco Ramerini

Grutas di Su Mannau (Fluminimaggiore). As cavernas de Su Mannau estão localizadas no território de Fluminimaggiore perto do templo de Antas a 59 km de Iglesias. As cavernas são um grande complexo calcário originado no Cambriano com oito quilómetros de comprimento com belos lagos. Desenvolve-se em diferentes níveis a partir de níveis altos, hoje fósseis e os níveis mais baixos ainda ativos e ocupados por rios. Há dois ramos principais, que datam a partir da erosão causada por curtas hidrovias: O rio Rapido e o rio Plácido. A visita das cavernas está dividida em duas partes: A parte da arqueologia e a da espeleologia. No quarto arqueológico foram encontradas várias peças de origem nuragica, púnica e romana. A rota turística, que estende-se por 350 m, permite admirar as concreções calcárias como estalactites e estalagmites, aragonita e cristalização de calcita, os lagos, os rios e os poços. Para mais informações: tel. 0781/580189. Ingressos: 6,00 € para uma visita duma hora. Horário de funcionamento: Todos os dias das 09.30 às 17,30 horas na primavera e no outono e das 09.30 às 18.30 horas no verão

Museu Etnográfico, Via Vittorio Emanuele, Fluminimaggiore. Um museu construído dentro dum antigo moinho de água de 1700. A entrada para o Museu Etnográfico: Preço total 1,55 €, preço reduzido para grupos de mais de 30 pessoas 1,00 €. Hora de inverno (novembro a abril): De manhã das 10.00 às 13.00 horas; de tarde das 16.00 às 19.00 horas. Fechado às segundas-feiras. Horas de verão (maio a outubro): De manhã das 10.00 às 13.00 horas; De tarde das 18.00 às 21.00. Fechado às segundas-feiras.

Museu Paleontológico, p.zza Regione, Fluminimaggiore. O museu, fundado pela Associazione Gruppo Grotte del Fluminense, contém fósseis encontrados na área. Horário: Aberto em julho/agosto das 18.00 às 21.00 horas. Os outros meses de abertura sob demanda.

Texto português corrigido por Dietrich Köster.

About admin

banner